JOSE RIBEIRO DE OLIVEIRA
RETALHOS DO TEMPO
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
E-books
A CORRUPÇÃO ENTRAVA O BRASIL
Autoria: Professor José Ribeiro de Oliveira
Ano: 2005
Tamanho: 414 KB
Formato: DOC
Sinopse:
O Brasil carrega na sua história vícios que se tornaram tradicionais; um ensino fútil; uma corrupção enraizada; um poder oligárquico; uma justiça viciada por conveniências; uma segurança pública compartimentada aos que possuem posses; uma desvalorização da pátria, da natureza, da raça indígena, especialmente pelos seus filhos mais nobres, dentre outros.

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
AFLIÇÃO DE UM MATADOR
Autoria: Professor José Ribeiro de Oliveira
Ano: 2012
Tamanho: 22 KB
Formato: DOCX
Sinopse:
A AFLIÇÃO DE UM SUJEITO QUE PRETENDE COMETER UM ASSASSINATO, SEM NUNCA ANTES TER PRATICADO QUALQUER CRIME. SEM JEITO E SEM PLANOS, PENSA EM TUDO, SE PREPARA, CONTRATA DEFENSOR E....LEIA O RESTO.
 
CRÔNICAS E REFLEXÕES DE AMOR E ÓDIO.
Autoria: Professor José Ribeiro de Oliveira
Ano: 2014
Tamanho: 271 KB
Formato: DOC
Sinopse:
O amor e o poder são coisas igualmente fascinantes. Quase sempre convivem, ora por conveniência, ora por inevitabilidade. O amor, enquanto sentimento, quando desejado e sentido, pode gerar enorme prazer e, por conseguinte, impulsionar a iniciativa, a auto determinação, a altivez, e até demonstrar uma manifestação de poder, que se traduz na firmeza e segurança que o próprio amor promove. O poder, dependendo de quem o porta e exerce, pode ser conduzido com amor, pode gerar sentimentos de admiração, de contemplação, de esperança, de fé, de contentamento, de respeito, de gratidão, e se nele habitar um pouco de altruísmo, pode despertar, das mais diversas formas, uma dose de amor. O poder e o amor, pela intrínseca força que possuem, conforme o modo como se manifestam, podem também culminar em ódio. No extremo das faces, o amor, o ódio e o poder podem viver no mesmo espaço, dormir na mesma cama, sentar na mesma mesa e até provocarem largos sorrisos, que nem o arrumar da cara permite identificar qual deles está presente. E se todos podem coexistir e até conviver, por que não num livro de crônicas?

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (Créditos ao autor).
 
MEDICINA LEGAL E CRIMINALÍSTICA
Autoria: Professor José Ribeiro de Oliveira
Tamanho: 338 KB
Formato: DOC
Sinopse:
A Medicina legal é um ramo da Medicina que deveria integrar como disciplina obrigatoriamente em todos os cursos de graduação em Direito. Infelizmente, algumas faculdades e até universidades ainda não se deram conta da importância do tema. Para o jurista, os conhecimentos específicos da Medicina Legal lhe proporcionam uma ampliação e enriquecimento, sob o ponto de vista científico, permitindo o entendimento de questões complexas do próprio mundo jurídico, por meio do auxilio das ciências incorporadas à Medicina Legal. Como preleciona Hélio Gomes: “Só os conhecimentos médicos não dariam finalidade jurídica à medicina. Só com o Direito não se constituiria a medicina Legal”. E afirma: “É justamente a junção dos conhecimentos de ambas as ciências, no propósito comum de auxiliar a Justiça a resolver as lides, que se encontra, nessa convergência, um conhecimento mesclado do Direito e das ciências biológicas, chamado Medicina Legal”. O papel da Medicina não se restringe a auxiliar a Justiça na solução de fatos concretos, mas também contribuir, com seus conhecimentos específicos e adaptados ao Direito, para a produção de normas jurídicas mais claras e eficazes dando-lhes maior perfeição no alcance social.

Copyright © 0. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
O ESTUPRO
Autoria: Professor José Ribeiro de Oliveira
Ano: 2012
Tamanho: 73 KB
Formato: DOC
Sinopse:
O Estupro é um pequeno romance que tem por finalidade promover discussões acadêmicas no âmbito jurídico, social e político sobre o episódio, levando-se em conta situações específicas nas relações interpessoais, a cultura, a estrutura da ordem públicas os costumes. LEIA NA PÁGINA DE TEXTOS E COMENTE

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
O FANTASMA DAS DROGAS
Autoria: Professor José Ribeiro de Oliveira
Tamanho: 239 KB
Formato: DOC
Sinopse:
As drogas representam hoje, para a humanidade, o perigo que representava, nas décadas passadas, a bomba atômica, a guerra fria. Os narcotraficantes foram os primeiros a adotarem o sistema globalizante de economia, no mundo dos negócios ilícitos das drogas. Hoje, as drogas que arrasam os jovens na Rússia, na China, na América do Norte, na Europa, são as mesmas que batem à nossa porta, às portas das nossas Escolas, sendo vendidas aos nossos filhos, nos deixando atônitos e impotentes diante de tal desgraça. A violência a níveis intoleráveis que hoje assola a nossa sociedade é um subproduto das drogas, do seu comércio e das relações que elas envolvem nas inúmeras atividades ilícitas vinculadas ao mundo do crime.

Copyright © 0. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
O MENINO BEM-TE-VI
Autoria: Professor José Ribeiro de Oliveira
Ano: 2014
Tamanho: 116 KB
Formato: DOC
Sinopse:
O Menino Bem-te-vi é a história de uma criança que apresentou problemas na fala quando da pronúncia das primeiras palavras. Sem orientação, seus pais não deram importância ao caso e a criança cresceu com a dificuldade de comunicação. Matriculado na escola, a maneira como pronunciava algumas palavras, especialmente aquelas que continham as letras R ou L, no início ou no meio das palavras, "paiede", "picoié", "refigeante" etc,passou a ser motivo de gozação entre os coleguinhas da sala,e com o tempo, por todos da escola. Poderia ser apenas uma forma engraçada de falar, mas para Pedrinho,já era um grande constrangimento pronunciar estas palavras, e mais ainda, ser visto e tratado pelos seus colegas como um deficiente da fala. A escola e os professores, pareciam não dar muita importância à peculiaridade de Pedrinho frente aos outros alunos. Nos corredores da escola, era humilhado e cercado por grupos de gozadores. Não suportando a humilhação, desistiu de ir à escola. Seus pais, humildes e sem qualquer orientação,aceitaram a decisão do filho. Mas Pedrinho deu a volta por cima.Estudou sozinho em casa. Como não tinha amigos, passou a desenvolver um relacionamento com os passarinhos na beira de um lago no interior do parque. Tornou-se amigo dos bem-te-vis e com eles se comunicava,a ponto de seguirem juntos no parque. Esta relação resultou num ensaio literário e Pedrinho se revelou um grande poeta, admirado na cidade onde morava e ídolo de todos os estudantes.

Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
O PACTO NA FLORESTA
Autoria: Professor José Ribeiro de Oliveira
Ano: 2010
Tamanho: 22 KB
Formato: DOC
Sinopse:
O Urubu-rei amanheceu num daqueles dias em que, para os filósofos, a alma se desprende do mundo material e entra em sintonia perfeita com o espírito. Num momento de profunda reflexão. Mas não Girava em torno de si as indagações que fazia. Andava preocupado com o que acontecia além do seu redor. Tomou para si as angústias de todos os seres da Floresta. Sentia-se, igualmente a todos, ameaçado pelas ações do homem ao seu ambiente. E desprovido de egoísmo, mesmo encontrando-se numa condição privilegiada entre os convivente, mas sofrendo também as perturbações dos invasores, queria encontrar uma solução para o problema. Após refletir minuciosamente sobre a questão, foi iluminado com a idéia de convocar todos os habitantes da Floresta, para uma reunião. Na ocasião, discutiriam, em assembléia geral, sobre todos os problemas que perturbam a Floresta, e estabeleceriam um novo modus vivendi. Compartilhou a idéia com a Arara-azul, que inicialmente entendeu impraticável promover-se uma reunião na Floresta, com todos os “bichos”, entre presas e predadores, num só lugar, ao mesmo tempo. Mas o Urubu-rei tinha pensado em todos os detalhes da reunião. Aos poucos, convenceu a Arara-azul e começaram a buscar a adesão de todos. As indagações, as angústias e reflexões que surgem durante todo o desenrolar da idéia, colocam o “animal humano” numa órbita existencial de difícil compreensão no Planeta Terra. Texto integral da obra no site: www.biblioteca24x7.com.br

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.